As Cores da vida - Resenha


As cores da vida, Kristin Hannah, Editora Arqueiro
As Cores da vida
Kristin Hannah


Resenha: Uma estória comovente, sensível e emocionante, é assim que posso resumir a saga das irmãs Grey: Winona, Aurora e Vivi Ann. Acompanharemos suas vidas por 29 anos. Tudo começa em 1979, com as irmãs tendo 15, 14 e 12 anos, respectivamente. Mas logo em seguida a trama dará um salto no tempo e já vamos segui-las na idade adulta, onde a melhor parte do enredo se desenrola.

Por ser um drama e acima de tudo, um drama familiar, teremos elementos conhecidos de toda família: amor, companheirismo, cumplicidade, mágoa, ciúme e inveja. Tudo isto muito bem dosado e misturado numa narrativa maravilhosa que nos prende e conquista da primeira à última página. 

Kristin Hannah é fantástica ao saber contar tanta coisa em apenas um único livro. Era assunto para uma série de livros, mas ela narra tudo em As cores da vida.

As três irmãs tem personalidades bem distintas e é difícil você não se pegar comparando a uma delas. Eu me vi retratada em todas elas, em algum traço psicológico ou em algum momento da vida.
Todas elas tem pontos positivos que se destacam e pontos negativos a serem escondidos, como é na vida de todos nós. Não é mesmo?

Winona é a advogada bem sucedida, mas sua vida pessoal é um fracasso, pois ela queria ser feliz no amor e constituir uma família, mas neste quesito ela não consegue sucesso.
Aurora é a equilibrada, a ponderada, que tem sempre uma palavra para apaziguar os ânimos. Mas será que tem um casamento feliz?
Vivi Ann é linda e querida por todos, mas também a consideram uma moça sem conteúdo e ela se sente vazia por nunca ter se apaixonado de verdade, ela sonha e espera por uma paixão arrebatadora.


As cores da vida, Kristin Hannah, Editora Arqueiro

Os personagens masculinos: o pai delas, Henry Grey, um homem amargo e ranzinza, talvez por ter perdido a esposa cedo demais. 
É muito rigoroso com Winona e tolerante com Vivi.
Luke Connelly, por quem Winona foi (e é) apaixonada desde a adolescência, mas ele vai se interessar por outra irmã (lembra o que eu disse no começo...ciúmes, inveja). É bom moço, bem nascido, bem sucedido, formado em veterinária, mas é bonzinho até demais, tornando-se um chato.
Dallas Raintree, meio índio, meio branco, rústico, bruto e gostoso. É um homem de poucas palavras, mas de uma intensidade surpreendente. No pouco que fala, já diz tudo, de forma direta, sem rodeios, deixando bem claro o que ele deseja.

Kristin Hannah situa os personagens no decorrer dos anos citando atores que faziam sucesso na época, descrevendo detalhes de roupas ou corte de cabelo que estavam na moda.
Em um trecho ela faz a seguinte descrição sobre Dallas: "com cabelos longos, pele escura e traços aquilinos, ele parecia Daniel Day-Lewis naquele filme que estava para sair, O Último dos Moicanos."


Um ponto que me conquistou nesta leitura, foi a localização geográfica da trama, uma cidade fictícia no Estado de Washington-EUA, na região do Canal de Hood. Vivi e o pai moram em uma fazenda às margens deste Canal com vista para as Montanhas Olympic. A cidadezinha em que moram é pequena, com 1300 habitantes, o que dá motivo para muito falatório.

Na parte final do livro ainda seremos agraciados com a narrativa, através de relatos em um diário, de um personagem jovem, profundo, e que dará um outro sentido ao rumo da estória.

As Cores da vida é um livro que eu super recomendo.
Leia. Você vai adorar.
E se prepare para fortes emoções, pois o livro tem muito disso, emoções presentes numa família que se ama, que tem seus problemas, mas que, acima de tudo, enfrenta seus dramas com base no amor e na cumplicidade.

"_ É claro que está com medo. Isso é maternidade. De agora em diante, sempre terá um pouco de medo." Pag. 141

Tenho que confessar que tive DPL (Depressão pós livro), não parava de pensar na vida dos personagens, não queria deixar a rotina daquela região longínqua, não queria deixar a estória e não conseguia pegar outro livro para ler.
Kristin Hannah me conquistou e preciso urgentemente ler outras obras desta ótima autora.

As cores da vida, Kristin Hannah, Editora Arqueiro

Título: As cores da vida
Autora: Kristin Hannah
Páginas: 352
Assunto: Ficção americana

Sinopse: AQUI.













6 comentários:

Adriana Balreira postou o comentário número:

Sempre ouvi falar muito bem dessa autora. Nunca li nada dela. E esse parece ser bem gostoso de ler. Dramas familiares envolvendo mulheres são sempre bem vindo!
Boa dica!
Beijos
Adriana

Edna postou o comentário número:

ja gostei do nome...
.e a historia me conquistou....
bjs Edna

Helena postou o comentário número:

Oi,Neli!!!

Valeu a dica!
Já encomendei!!!!

Bjs!

Alessandra Salvia postou o comentário número:

Oi Neli,
Ia solicitar esse livro, porém tinha outras prioridades.
Parece uma ótima obra, eu iria gostar.
beijos
https://estante-da-ale.blogspot.com.br

Francisca Elizabete postou o comentário número:

Gostei da história, pretendo ler o livro!! Vivi e Winona parecem não se combinarem, e ainda aparece Dallas para complicar ainda mais o relacionamento das duas!! Vivi parece que sempre conseguiu o que queria, sempre paparicada pelo pai!! Mas será que vai ser sempre assim? Tomara que estas pessoas se acertem, família tem que ser a nossa base!! Já quero ler!!

Milena Soares postou o comentário número:

Estou doida pra ler esse livro, curto muito esse gênero, parece ser bem emocionante e cada resenha que leio dele me deixa ainda mais ansiosa em conferi essa história.